A Comunhão na Igreja de Hoje

A COMUNHÃO NA IGREJA HOJE (Hb 10:19-25) Por Pr. Lindon Carlos

“Não deixando de congregar-nos, como é costume de alguns, mas admoestemo-nos uns aos outros, e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele dia”. (v. 25)
“Não abandonemos, como alguns estão fazendo,  o costume de assistir as nossas reuniões. Ao contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês vêem que o Dia do Senhor está chegando”. (v.25 LH)

INTRODUÇÃO
NÃO SABEMOS O QUE É IGREJA (ler)

Então o que é a igreja?

* É A ECLESIA DE DEUS – O CORPO DE CRISTO. É O CONJUNTO DAS PESSOAS QUE COMUNGAM A MESMA FÉ EM JESUS CRISTO, QUE SE SUBMETEM AO EVANGELHO E QUE SE ENCONTRAM COM O MESMO PROPÓSITO DE GLORIFICAR A DEUS E DE FAZÊ-LO CONHECIDO.
É a  manifestação e realização concreta do mistério de Deus que estava oculto antes da fundação do mundo. Ef 1:7-10)

COMUNHÃO: É O ENCONTRO COSNTANTE DO HOMEM COM DEUS E DE DEUS COM O HOMEM. É O ENCONTRO E O VINCULO CONSTANTE DE PESSOAS QUE RECEBERAM PELA FÉ A SALVAÇÃO EM CRISTO JESUS E COPARTILHAM  DESSA FÉ E INTERESSES COMUNS REGISTRADOS NA BÍBLIA.
MUTUALIDADE CRISTÃ É O DEVER QUE CADA UM CRENTE TEM PELO O OUTRO.
C.S. Lewsis: “Seguir a Cristo inclui integrar, não apenas acreditar. Somos membros do seu corpo a igreja”.
Rick Waren: “Você foi chamado para  participar e não somente a crer”

* A igreja é a família de Deus.

 E a essência da família é o relacionamento entre os irmãos. É por isso que o salmista exclama: Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos (Sl 133.1). Viver unido é viver em comunhão com o Pai e com os irmãos.

1. O CONCEITO BÍBLICO DE COMUNHÃO

A palavra comunhão é a tradução da palavra grega koinonia, que significa parceiro, companheiro ou participante.

Lowell Bailey resume: a comunhão tem a ver com aquela relação pessoal que os cristãos gozam com Deus e uns com os outros, em virtude de serem unidos a Jesus Cristo. Quem estabeleceu essa relação foi o Espírito Santo, que habita em todo cristão, unindo-o a Cristo e a todos os que são de Cristo.

A comunhão cristã tem algumas características principais: comunhão espiritual ou a dedicação de um tempo para orar, estudar a Bíblia, adorar e partir o pão (At 2.42); compartilhar as necessidades materiais uns dos outros (At 4.32; 2 Co 8.3-4); cooperação na obra missionária (Fp 1.5); união e unidade quanto aos alvos e propósitos espirituais (At 2.46 e 2 Co 13.13).
Charles R. Swindoll afirma que uma família forte possui seis qualidades principais: é comprometida com a família, gasta tempo junta, tem boa comunicação familiar, expressa apreciação um ao outro, tem um compromisso espiritual e é capaz de resolver os problemas nas crises. Estas qualidades podem ser resumidas em duas palavras: comunhão e mutualidade. Podemos aplicar estas mesmas qualidades para uma igreja forte, pois, a igreja é uma família de famílias. Uma igreja que não desenvolve estas qualidades, vive uma crise de comunhão.
O que temos observado nos últimos tempos é que a comunhão da igreja e o valor pela igreja tem dimuído... e por que isso?
1.    Conflitos
2.    Negligência
3.    Mesquinharia
4.    Materialismo
5.    Legalismo
6.    Charlatanismos
7.    Escandâ-los
8.    Desvi-os dos fundamentos básicos da fé
9.    Igrejas televisivas e virtuais
10.                      Por causa das preocupações da vida:
·       De ganhar a vida;
·       De fazer o trabalho;
·       Pagar as contas;
·       Cumprir as metas, fazendo dessas coisas a razão da vida.
                                       
Dietrich Bonrohoeffer, ministro alemão que foi martirizado  por resisitir aos nazistas, escreveu o classico livro sobre comunhão (A vida em conjunto), ele dá entender no seu livro que a desilusão com a igreja local é algo bom, porque destrói nossas falsas expectativas de perfeição.
Toda igreja deveria afixar uma placa “Pessoas perfeitas não precisam entrar. Este é um lugar somente para os que admitem ser pecadores, precisam de graça e querem crescer”.


2. A MUTUALIDADE CRISTÃ

Mutualidade é um termo da língua portuguesa para descrever o dever que cada crente tem para com o outro, enquanto membro da família de Deus. Mutualidade origina-se da expressão bíblica uns para com os outros. (Rm 12.5). Dos trinta e seis mandamentos mútuos existentes no Novo Testamento, destacaremos vinte e cinco mandamentos, conforme uma divisão proposta por Lowell Bailey:

•    Amem-se uns aos outros (Rm 12.10)
•    Aceitem-se uns aos outros (Rm 15.7)
•    Saúdem-se uns aos outros (2 Co 13.12)
•    Cuidai uns dos outros (1 Co 12.25)
•    Sujeitem-se uns aos outros (Ef 5.21 -22)
•    Suportem-se uns aos outros (Cl 3.13)
•    Não tenham inveja uns dos outros (Gl 5.26)
•    Deixem de julgar uns aos outros (Rm 14.13)
•    Não se queixem uns dos outros (Tg 5.9)
•    Não falem mal uns dos outros (Tg 4.11)
•    Não mordam e devorem uns aos outros (Gl 5.15)
•    Não provoquem uns aos outros (Gl 5.26)
•    Não mintam uns aos outros (Cl 3.9)
•    Confessem os seus pecados uns aos outros (Tg 5.16)
•    Perdoai-vos uns aos outros (Tg 5.15)
•    Edifiquem-se uns aos outros (1 Ts 5.11)
•    Ensinem uns aos outros (Cl 3.16)
•    Encorajem uns aos outros (At 13.15)
•    Aconselhem-se uns aos outros (1 Ts 5.12)
•    Cantem uns para os outros (Cl 3.16)
•    Sirvam uns aos outros (1 Pé 4.10)
•    Levem as cargas uns dos outros (Gl 6.2)
•    Hospedem uns aos outros (1 Pé 4.9)
•    Sejam bondosos uns para com os outros (Ef 4.32)
•    Orem uns pelos outros (Tg 5.16)

3. A MUTUALIDADE É A BASE DO MINISTÉRIO DA IGREJA

A igreja manifesta a sua comunhão com Deus, e entre os irmãos, por meio da mutualidade. Comunhão se traduz em mutualidade. Podemos afirmar que a mutualidade é a vida da Igreja. Lowell Bailey afirma que a mutualidade é o coração do ministério da Igreja.

CONCLUSÃO

Precisamos combater a crise de comunhão em nossa igreja. O remédio para esta crise é a prática da mutualidade, isto é, todos os irmãos envolvidos em servir uns aos outros. Todos participando de modo feliz e eficiente, dos ministérios coletivos da igreja. Cada cristão praticando o seu dom espiritual.
APLICAÇÃO
1°. Dê importância a unidade, a comunhão e ao serviço mutuo nas horas finais de JESUS em Jo 17 Ele deu mais importância a isso do o céu e o inferno.
2°. Valorize a comunhão, valorize a igreja. Não podemos amar o noivo e desprezar a noiva. Quando não valorizamos a comunhão na igreja, estamos deixando de valoriza a essência de Deus que vivia em comunhão.
3°. Compreenda que nada na terra é mais valioso para Deus que sua igreja. Ele pagou o mais alto preço por ela.
4°. Concentre-se no que há de comum e não em nossas diferenças. Não podemos deixar que as nossas diferenças nos dividam jamais. Precisamos nos manter concentrados no   que mais importa ama uns aos outros.
5°.Seja realista em suas expectativas. Devemos amar apaixonadamente a igreja, a despeitos de suas imperfeições.
6°. Servir uns aos outros é  remédio contra a ausência de comunhão.
Share on Google Plus

About Eginoaldo Oliveira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

Breaking News