Mensagem de entidade evangélica polemiza sobre 'Parada Gay', em RR

Uma mensagem de texto enviada pelo presidente da Ordem dos Ministros Evangélicos de Roraima (Omer), apóstolo Helton Souza, ao vereador Júlio César (PMDB), autor do projeto que inclui a "Parada do Orgulho Gay e da Consciência Homossexual" no calendário oficial de Boa Vista, sugere um tom ameaçador, conforme informou a assessoria do parlamentar.

A mensagem foi entregue ao G1 após a sessão ordinária em que se discutiu a matéria, já aprovada em primeiro turno na semana passada, e que entraria em segunda votação nesta terça-feira (27). Mas não houve quórum e a polêmica se acirrou com a declaração da vereadora Mirian Reis(PHS) afirmando que o evento vai proliferar o homossexualismo e as doenças em Boa Vista.

Em um dos trechos da mensagem, o apóstolo Helton Souza 'alerta' que "o referido projeto não passe (por aprovação) e se o mesmo passar, faremos questão de divulgar nos quatro cantos deste estado, quem foi o autor, quem votou e quem aprovou o mesmo". Questionado se o 'aviso' seria uma ameaça de propagar de forma negativa a matéria e o seu autor, o apóstolo negou esse entendimento.

"A mensagem é clara. Pedimos somente a possiblidade de criação de uma Comissão Especial em que pudéssemos ser ouvidos e emitir nossa opinião. Por que com os evangélicos seria de uma forma e com o grupo LGBT de outra?", respondeu ao G1, acrescentando que as pessoas querem saber quem é o autor do projeto.

"Não iríamos deixar de dizer quem votou porque é um proposta polêmica e todos querem saber. Isso não é uma ameça. Me sinto na obrigação, de como representante de uma entidade, responder quem é o autor do projeto. Nos quatro cantos do estado, temos a nossa igreja, diretórios, convenções. E as pessoas querem saber", complementou.

De acordo com ele, há necessidade de um equilíbrio e estar preparado para fazer a leitura correta da proposta. "Acredito que ele [vereador] usou apenas a parte final da mensagem e não a inicial em que cito ser perigoso ouvir somente um lado, não chamando outras entidades para discutir o projeto", esclareceu.

O apóstolo reiterou não pretender discutir a questão religiosa. Para ele, a "Parada Gay" já existe em todas as capitais.

"Não somos contra esse movimento. O nosso discurso não é radical, mas precisamos saber se teremos a estrutura para contermos o que acontece nesse evento. Por exemplo, o aumento de promiscuidade que ocorre na praça e em outros lugares públicos, onde acontecem atos de pedofilia e o avanço deliberado das drogas. Isso é uma questão social. Não podemos ser irresponsáveis", afirmou.

Ele avaliou não poder haver comparação entre a "Parada Gay" e a "Marcha Para Jesus", que é 'cultura nacional'. " Isso representa uma entidade. O LGBT é apenas uma classe. Não se pode falar que "Parada Gay" é cultura. Nos preocupamos com o que acontece, antes e durante o evento", pontuou.

O presidente da Omer alegou também que "tem sido procurado por pastores e alguns padres, não só de Boa Vista como dos demais municípios, para protestar e mobilizar os líderes cristãos contra o absurdo do projeto municipal".

Na mensagem de texto, o apóstolo escreveu ainda que "o projeto não trará benefícios para os munícipes, a não ser para uma única classe, que já tem tido inúmeros benefícios, coisas inclusive que ninguém tem".

A assessoria do vereador Júlio César disse ao G1 que ele se pronunciaria sobre a mensagem de texto, o que não ocorreu até a publicação desta matéria.

Fonte: G1
Share on Google Plus

About Eginoaldo Oliveira

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

Breaking News